Gicca marca primeiro encontro nacional entre profissionais da saúde, políticos e deficientes auditivos em São Paulo

O Gicca – Vi Congresso Ibero-Americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins – Realizado entre os Dias 20 e 23 de Maio, Teve, na Noite do Dia 21, Um Encontro Especial. Idealizado Pelo Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento

O Gicca – Vi Congresso Ibero-Americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins – Realizado entre os Dias 20 e 23 de Maio, Teve, na Noite do Dia 21, Um Encontro Especial. Idealizado Pelo Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, Essa Noite Uniu Pacientes, Profissionais da Saúde e Políticos Ligados À Alta Complexidade Auditiva em Um Mesmo Local, com Perguntas Dirigidas a Todos Eles.

Aconteceu no dia 21 de maio, às 19 horas, no Centro de Convenções Rebouças, o I Encontro Nacional entre Deficientes Auditivos, Médicos e Personalidades Políticas com presença maciça de implantados e pacientes do Reouvir, programa social pertencente à Fundação Otorrinolaringologia.

“Desde quando começamos a programar o Congresso Ibero-Americano de Implantes Cocleares e Ciências Afins, pensamos em uma maneira de realizar esse encontro. E todos os detalhes foram pensados por todos nós, da organização do evento, para tornar esse encontro o mais proveitoso possível”, disse o Professor Dr. Ricardo Ferreira Bento, no discurso que abriu o evento.

Para realizá-lo, a Comissão Organizadora do GICCA, formada pelos Profs. Drs. Ricardo Ferreira Bento, Rubens de Brito, Rodolpho Penna Lima, Dr. Robinson Koji Tsuji, Dra. Anna Carolina Fonseca, Dra. Jeanne Oiticica, Dra. Mara Gandara e fonoaudiólogas Valéria Goffi, Ana Tereza Magalhães, Isabela Jardim, Danielle Penna Lima, iniciou levantando o nome dos políticos que poderiam sentir as necessidades dos deficientes auditivos usuários de aparelhos convencionais ou implante coclear.

“Selecionamos vários nomes e tivemos a grata surpresa em receber, representando o Ministro da Saúde, Dr. Arthur Chioro, o Dr. José Eduardo Fogolin, responsável pelos procedimentos de alta e média complexidade do Ministério da Saúde, a Dra. Linamara Mendes Rizzo Batistella, Secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Dra. Evelinda Trindade, responsável pela área de Tecnologia e Órteses e Próteses do SUS. E todos falaram sobre as metas em seus respectivos cargos em relação à saúde auditiva e responderam as questões feitas pelos nossos pacientes em vídeos gravados e apresentados durante o evento”, continua o professor.

Público participativo

Com mais de 600 pessoas assistindo – todas convidadas uma a uma através de envio de e-mails e checagem de recebimento por telefone – o evento começou com o depoimento emocionado da implantada bilateral pelo Grupo de Próteses Implantáveis HC-FMUSP, Lak Lobato, que possui o blog Desculpe, não Ouvi!. Em poucos minutos, relatou sua história e contou ao público o prazer de voltar a ouvir depois de 22 anos em silêncio profundo.

“Nos vídeos, as perguntas eram mais voltadas às questões de acessibilidade e manutenção dos aparelhos. E é importante ressaltar que tivemos intérprete de LIBRAS no evento, exatamente para que todos os deficientes auditivos presentes tivessem acesso às perguntas e respostas dos políticos presentes. E, vale lembrar, que a partir da publicação da portaria 2776, no Diário Oficial da União, deficientes auditivos passam a ter direito à cirurgia de prótese osteo-ancorada, implante coclear bilateral e manutenção dos aparelhos”, continua o professor.

Feliz em participar do evento, Erika Fernandes, surda implantada e mãe de implantada comentou: “É preciso que os nossos direitos sejam respeitados, tanto no trabalho, como na nossa educação e na vida social. O implante permite uma maior socialização de todos nós, mas sem eventos como esse, não temos como reivindicar nossos direitos. A equipe está de parabéns! ”, disse ela.

Autoridades políticas

Dra. Linamara Rizzo Battistella destacou a importância do evento e falou sobre a necessidade de melhorar sempre a acessibilidade. “Cerca de 40% dos nossos atropelamentos acontecem por causa da deficiência auditiva. E esse quadro precisa mudar. O implante coclear é um grande avanço e veio para auxiliar. O uso de próteses convencionais também. É necessário informarmos mais a população sobre a deficiência auditiva para que a acessibilidade de todos aumente. E, para os pacientes, sempre é bom lembrar que é preciso fazer a sua parte, sempre. Não basta ter um aparelho auditivo. É preciso usá-lo e levá-lo para a manutenção como pedem os profissionais de saúde para seu melhor aproveitamento. E sempre procurar se inteirar das novidades tecnológicas que modificam, diariamente, a história da surdez”, disse ela.

Esses avanços foram anunciados pelo Dr. José Eduardo Fogolin, responsável pela Coordenação Geral de Média e Alta Complexidade do Departamento de Atenção Especializada e Temática do Ministério da Saúde.

“Após a elaboração do documento junto aos profissionais de saúde (médicos, fonoaudiólogos) e área técnica da saúde, publicamos, no final do ano passado, a portaria 2776, de 18 de dezembro de 2014, a qual trouxe profundos avanços e mudanças que auxiliarão muito no cuidado às pessoas com deficiência auditiva no SUS.
Além do direito às cirurgias de implante coclear unilateral ou bilateral, bem como a sua manutenção, a população que necessitar terá também direito à cirurgia de prótese osteo-ancorada unilateral ou bilateral. Essa portaria é uma vitória à deficiência auditiva, uma das nossas grandes preocupações, conseguida através do Ministério da Saúde”, disse Dr. José Eduardo Fogolin.

E finalizou: “O Ministério da Saúde agradece aos organizadores do evento pela oportunidade em participar do encontro, em especial deste momento de interação com os usuários, porque é muito importante ouvir o retorno da qualificação do serviço prestado pelo Sistema Único de Saúde através dos próprios beneficiados. Só assim conseguiremos melhorar a qualidade de vida de todo o conjunto da população brasileira. ”

Após o evento, foram sorteadas sílica e baterias para quem utiliza aparelho auditivo convencional, uma capa a prova d’água para uma implantada que faz natação e foi servido coquetel de confraternização.