Hearing terminou no sábado, 3 de dezembro, com sucesso absoluto

Hearing – I Congresso Internacional de Surdez, Implante Coclear, Próteses Auditivas e Cirurgicamente Implantáveis – promovido pelo Departamento de Otorrinolaringologia do HC-FMUSP -, terminou sábado, dia 3 de dezembro com sucesso absoluto

Hearing – I Congresso Internacional de Surdez, Implante Coclear, Próteses Auditivas e Cirurgicamente Implantáveis – promovido pelo Departamento de Otorrinolaringologia do HC-FMUSP -, terminou sábado, dia 3 de dezembro com sucesso absoluto. Com quase 500 participantes, em mesas que abordaram os mais variados temas e foram bastante concorridos, terminou sábado, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, o Hearing – I Congresso Internacional de Surdez, Implante Coclear, Próteses Auditivas e Cirurgicamente Implantáveis – promovido pelo Departamento de Otorrinolaringologia do HC-FMUSP e organizado pela FO. “Foram quatro dias de atividades intensas e observamos que vieram equipes de várias partes do Brasil participar do evento. Muitos profissionais de saúde participaram das oficinas e das sessões interativas e, em todas elas, recebemos muitas perguntas, o que enriqueceu esse aprendizado e troca de experiências”, diz Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento, presidente do evento. Vários congressistas trouxeram, principalmente, nas sessões interativas, dúvidas que têm em seus grupos e apresentaram durante a apresentação de casos dos componentes da mesa. “Esses questionamentos em relação a realizar – ou não – as cirurgias conforme cada paciente é muito importante porque leva todo o grupo presente a questionar sobre como agiriam naquele momento e em quais casos é ideal, realmente, o procedimento. Uma questão trazida na Sessão Interativa bastante importante foi relacionada à cirurgia de implante coclear em uma criança portadora de Síndrome de Down, um caso que deve ser analisado com muita atenção”, disse o professor. Aprovação unânime O sucesso do Hearing – I Congresso Internacional de Surdez, Implante Coclear, Próteses Auditivas e Cirurgicamente Implantáveis – garantiu uma nova edição para janeiro de 2013. “Ainda não definimos o lugar, mas deverá acontecer no início de 2013, em cidade próxima a São Paulo”, comentou o professor. Erika Saiter, fonoaudióloga de Vitória, foi uma das participantes que aprovou a idéia. “Trabalho a 10 anos na APAC, que possui doação de próteses auditivas pelo SUS. Sempre estou nos eventos do HC-FMUSP. Esse, em especial, foi muito interessante. Como ainda não existe Centro SUS de Implante Coclear no Espírito Santo, participei pensando no momento que acontecer. Mas tudo foi muito atual e aprendi muito. O importante é poder auxiliar em indicações certas nas próteses atuais. A capacitação e o conhecimento das próteses auditivas implantáveis e como realizar o treinamento auditivo em cada uma delas, me interessou demais”, disse. Já Dicia Barrozo, fonoaudióloga da equipe do Dr. Silvio Caldas, de Recife, ressaltou a importância do aprendizado das próteses implantáveis de orelha média. “Toda essa atualização é muito importante. O Hearing foi muito bom”, comentou. Na sexta-feira, houve a premiação dos trabalho científicos de Fonoaudiologia e Medicina e os vencedores foram: Fonoaudiologia: 1ª Thais Corina Said de Angelo – Título: REDUÇÃO DA DESVANTAGEM AUDITIVA APÓS A REABILITAÇÃO AUDIOLÓGICA EM IDOSOS 2ª Ana Lívia Libard – Título: Adolescentes Implantados na Infância: aspectos da audição e da linguagem. 3ª Mariane Barreto Brandão Martins – Implante Coclear: Nossa experiência e revisão de literatura Medicina: Houve empate no 2º lugar 1ª Alessandra Kiesewetter – Título: BAHA Indicações, resultados funcionais e comparação com cirurgia reconstrutiva de orelha 2ª Inesângela Canali – Título: Tympanoestapedopexia: Seria ela uma Timpanoplastia Tipo 3 Natural? 2ª Ana Adelina Torre – Título: SURDEZ PRÉ-LINGUAL: BENEFÍCIOS DO IMPLANTE COCLEAR VERSUS PRÓTESE AUDITIVA CONVENCIONAL.